Seu site de estilo (e qualidade) de vida

03/11/2014 - 11:42

O “brasileiro cordial” é o último a aderir às mesas compartilhadas

por Luís Perez

Basta ir à praça de alimentação de qualquer shopping center paulistano para notar que o brasileiro, esse “povo cordial”, odeia fazer uma refeição ao lado de um desconhecido.
A ponto de uma rede de shoppings fazer, certa vez, uma campanha com plaquinhas: “Não é você que odeia almoçar sozinho?”. Tudo para incentivar o compartilhamento de mesas, algo que é comum em outros países.

Eu mesmo, certa vez, em Paris, fui colocado com uma senhora em uma mesa de apenas dois lugares. Não só sobrevivi como notei ser uma oportunidade para fazer novas amizades – quando é o caso.

Mesão da Le Pain Quotidien

Mesão da Le Pain Quotidien

Pensando nisso, a Le Pain Quotidien implementou a mesa comunitária em suas unidades de São Paulo. O espaço coletivo leva os clientes a dividirem a mesa, dando oportunidade aos frequentadores de se conhecer e trocar saudações, cada vez menos comuns nas grandes cidades.

Durante aquele café da manhã solitário antes de ir para o escritório ou aquele almoço apressado entre uma reunião e outra, a padaria belga oferece a oportunidade de um bate-papo descontraído. Esse conceito de mesa comunitária tem feito sucesso e agradado a todos.

Além da Le Pain Quotidien, outros estabelecimentos colocaram uma mesa comunitária no salão para que seus frequentadores possam interagir. São eles: a sorveteria Baccio di Latte, a cafeteria Café Girondino, o restaurante japonês Toro Sushi e a lanchonete árabe Zaatar.

Comentários

comentários