Seu site de estilo (e qualidade) de vida

04/01/2014 - 17:50

Mineirim e pastéis da horta são refeição mata-fome de respeito na Lapinha

por Luís Perez

A fim de matar as saudades da culinária mineira, mas está na zona oeste de São Paulo – Lapa, Pompeia, Perdizes!? Pois uma boa pedida, inclusive nestes dias quentes (parece, mas nem é tão pesado) é aportar no bar Lapinha a pedir um Mineirim, prato que leva linguiça toscana acebolada com couve, farofa, arroz branco, torresmo e ovo frito.
Essa iguaria da culinária mineira sai por R$ 23. Caso você esteja com amigos ou o prato não seja suficiente para aplacar sua fome, um bom complemento (pode até pedir junto) é a porção de Pastéis da Horta, que vêm recheados com couve e queijo gorgonzola, dignos de derreter na boca (R$ 16 por quatro unidades).

Mineirim

Mineirim

Pastéis da Horta

Pastéis da Horta

O atendimento é sempre cordial e o chope Brahma, tirado na hora, geladíssimo, sai por R$ 6,70. Clientes que “choram” ganham um garotinho ao final da refeição (que o dono não nos leia). Infame apenas é a piadinha do macaco. Do lado de fora da Lapinha, há um aviso para não alimentar o macaco. No alto da árvore, um macaco… automotivo.

Em que pese o fato de estar perto do bairro da Lapa, que em São Paulo já foi operário e hoje é mais residencial, o nome do bar é inspirado na canção de Baden Powell e Paulo César Pinheiro (“Quando eu morrer me enterre na Lapinha/Quando eu morrer me enterre na Lapinha/Calça, culote, paletó almofadinha/Calça, culote, paletó almofadinha/Vai meu lamento vai contar/Toda tristeza de viver/Ai a verdade sempre trai/E às vezes traz um mal a mais”). Só bebendo para esquecer…

A Lapinha – rua Coriolano, 336, Vila Romana, tel. (11) 3672-7191

Comentários

comentários